quarta-feira, dezembro 31, 2008

'Por que eu ainda gosto dele?'

Baseado em fatos reais, em uma história dura, em confiança e a falta dela. Obrigada!

****************************

Mais de quatro da manhã, talvez (as duas estão sem relógio), são amigas reais, daquelas que se entendem numa palavra. Não tinham sono. Se tinham, não queriam dormir. A mais velha e mais baixa já havia contado para a mais nova e mais alta tudo que lhe preocupava demais e que nunca tinha contado para ninguém. Tinha ficado decididamente mais leve. Estava na vez da outra.
–Tudo bem, eu te conto tudo que você quer saber, mas pode parar de olhar pela janela um instante?
–Pode ir falando, é que eu não gosto de olhar muito nos olhos das pessoas, acho que tira a concentração. – apesar de seus pensamentos flutuarem como nuvens, a quilômetros de distância daquele quarto, ela fez força para não perder um detalhe do que a amiga dizia.
Suspirou. Ela olhou pela janela.
–Por que eu ainda gosto dele?
“Eu não sei direito, vou te dizer. Ele não era totalmente desconhecido, fomos apresentados virtualmente por um amigo nosso. Acho que eu sempre gostei dele, nunca na mesma intensidade, mas sempre tive uma afinidade com ele, desde o primeiro oi. No começo conversávamos durante cinco minutos depois por três horas, sempre que possível, sem pretensões de nada mais sério do que uma amizade pelo computador. Na verdade, nunca imaginei que rumo isso tomaria. Para mim, correr depois de chegar da escola para ligar o computador e poder finalmente falar com ele era rotina. Eu não queria saber se eu sorria para a tela do computador ou se o coração batia mais acelerado, isso nunca foi uma questão em minha cabeça. Era totalmente natural conversar e conversar com ele.
“Nós ríamos muito, contávamos segredos, discutíamos amigavelmente sobre nossos gostos. Eu começava a gostar dele, mas não contei dessa amizade para ninguém, porque, no meu inconsciente, sabia que ele ia querer outro MSN, conversaria mais com outras pessoas e me deixaria de lado...
“Nunca tive curiosidade em ver o rosto dele, mas isso não me importava, era legal não ter uma primeira impressão dele só por causa da aparência. Se eu gosto dele, é somente pelo que foi construído apenas com palavras. E que palavras! Eu adorava, e continuo adorando, tudo o que ele escreve.
“Só me dei conta do quanto eu gostava dele quando soube que ele arranjou uma namorada. Ai, como doeu!
“Foi uma dor difícil de explicar, um misto de perda e solidão e ciúme, mas eu não entendia direito que diabos de perda era aquela, se ele nunca tinha sido meu. Com o tempo eu refleti mais e percebi que conversar com ele era algo que fazia parte da minha vida e eu podia dizer tranqüilamente que ele já era parte da minha história, ainda que por pouco tempo. E que eu gostava bastante dele, de um outro jeito.
“Como eu posso ainda gostar dele?
“Para ele, depois de ter me contado sobre seu namoro, comecei a fazer mais parte de sua vida, enquanto eu o queria longe, porque junto dele vinha a lembrança da namorada dele, que tirou todas as minhas chances mais sérias antes que elas desabrochassem. Ele me ligava mais, me mandava fotos, parecia enfim disposto a me conhecer pessoalmente. Eu tinha medo de não conseguir falar com ele cara a cara, ou pior, falar o que eu realmente sentia, e acabar com a nossa amizade... Ele foi um amigo tão importante para mim... Foi, infelizmente.”
–Hm...
–Não queria perder o contato com ele. Queria poder ligar para ele agora. Mas como? Ele atenderia e nem se lembraria de mim!
–Por que você pensa assim? Se ele conversou tanto com você, há de se lembrar. E deve sentir saudades também.
–O que eu diria para ele, caramba?
–Diria que sente saudades e que tem coisas para falar com ele. Daí você marcaria de sair com ele e falaria tudo cara a cara!
–Que fácil dizer isso... Depois daquela briga, quando ele traiu a namorada, ele nunca falou nada de bom para mim. A gente só discutia, e discutia feio. Ele colocou um ponto final um dia, pois não queria mais falar comigo.
“Não devia ter me metido demais naquela história. Mas o jeito com que ele tratou aquilo foi tão mesquinho, egoísta... Aquilo me deixou sem palavras, porque eu achava que conhecia ele como a palma da minha mão, e aquela atitude só me provou o contrário e nos afastou.
“Por que eu ainda gosto dele, meu Deus?”

3 comentários:

  1. Muiito boom o jeito de como detalha cada parte do texto, mas fazendo com que ele não fique enjoado e repetitivo. Parabéns.
    Primeira vez que o visito , vou vir aqui mais vezes ler seus posts
    beiijos
    Lu

    ResponderExcluir
  2. Eu não quero me chamar José Carlos!sexta-feira, janeiro 02, 2009 2:09:00 AM

    Advinha? estou aqui de novo, estou viciado no seu blog!! que inspiração que o final de ano tá te dando hein! e eu durante cada dia anseio, por entrar no computador e ver o que mais voce escreveu e suas respostas para os meus humildes comentarios!
    como foi de ano novo? e seu aniversario tá chegandoo!!
    email, tenho sim. ele tem meu nome e facilmente voce saberá quem eu sou, pois acho que sou pelo menos seu conhecido distante. mas nao me importa, voce que sabe: eu te passo ou quem sabe quando voltarem as aulas a gente se conheça de verdade. me diz que que voce prefere!
    a personagem (afinal, nao sei se é voce) nunca viu ele? putz, essa deve ser dificil mesmo. é engraçado, quando a gente percebe de repente que já se apaixonou e nao tinha dado conta. acho que isso é real - diferente do 'estar a fim'. e tambem porque tem a ver com a personalidade e nao a aparencia. é, sei bem dessas coisas...
    beijos =D

    ResponderExcluir
  3. Conheço bem essa historia em cada detalhe....engraçado que estva pensando nele e me perguntando o pq ainda gosto dele qd achei aki nessa telinha esse texto descrevendo td exatamente...o diferente é que ele nao traiu a namorada apenas a deixou....td que eu senti foi exatamente igual, td que aconteceu tbm....o problema é que qd revelei meus sentimentos ele disse que era loucura que por mas que eu fosse uma garota do tipo que ele namoraria, ele nao conseguia no mundo dele se ver numa narração de internet...ele era mt pé no chão...e eu mt sonhadora...
    Arranjei um namorado tava na hora de recomeçar, ele ficou com ciumes, me afastei dele pra sempre, mas ainda penso nele e me pergunto se ele ainda lembra de mim, das horas de conversa, dos riso trocados, confidencias, e cuidados um com outro....e agora meu namorado largou uma carreira por mim e quer se casar cmg...eu o amo mt, mas ainda penso no outro de vez em nunca, mas penso....nao sei se penso cm se ainda gostasse e isso me lembra uma musica q nois dois amavamos q a letra dizia:

    Eu estou apenas envelhecendo
    Eu não estou superando você, eu estou tentando
    Eu desejo que isto não mechuque assim
    Tem sido um caminho tão longo para os tempos que falhamos
    Eu não posso acreditar que ainda machuca assim

    Tenho medo de apenas envelhecer e nunca me esquecer disto....

    ResponderExcluir

Espaço abaixo: Pra quem leu o post e tem qualquer coisa a dizer. Deixe também o email ou site.